Se você for como nós, passará a maior parte do tempo dentro da Medina – não pense que é pequena, afinal ela é originalmente toda a cidade de Marrakech –, e uma vez na Medina, a melhor maneira de circular é a pé, com exceção de algumas distâncias, como um restaurante mais afastado do seu hotel, por exemplo.

Os táxis e “Caleches” – charretes, transitam em alguns lugares, mas na grande parte da Medina, somente a pé, de bicicleta ou de motoca – eu saí de Marrakech traumatizada com as motocas –, pois as ruas são muito estreitas e você vai perceber que em determinados lugares nem as motocas deveriam circular.

Para explorar o resto da cidade, você tem a opção dos petit taxis, dos ônibus ou das charretes. Nós só usamos o táxi nas distâncias maiores e, em particular, dois taxistas que nos foram indicados pelo hotel Angsana Riads Collections, onde nos hospedamos. No final desta matéria deixo os telefones desses dois taxistas que nos atenderam com toda gentileza e honestidade, coisa bem difícil em se tratando de taxista em Marrocos.

Se você for pegar táxi na rua, cuidado! Os taxistas começam com um preço lá no alto e é preciso que você tenha noção de valor da corrida que quer fazer – informação que pode ser obtida na recepção do seu hotel. Negocie antes de entrar no carro! Se deixar para negociar dentro do táxi, já era, vai pagar o que o motorista quiser. É assim que funciona, então seja esperto!!!

Não usamos ônibus nem charrete (caleche). O primeiro porque, como disse, demos preferência ao táxi, que é muito barato em relação ao Brasil e a Europa, por exemplo. O que pude observar é que os ônibus estão sempre superlotados, principalmente nos horários de pico.

E, o segundo, a charrete, porque vai totalmente contra meus princípios. É possível observar em todo Marrocos e de forma gritante em Marrakech como os animais são explorados em carroças para todo tipo de serviço pesado e até tarde da noite. Da mesma forma os cavalos das charretes, que os turistas adoram, começam a trabalhar de manhã cedo e vão até tarde da noite. Pra mim não dá!

Mas, se você não se importa… a charrete é uma opção de transporte e custa, em média 80 Dh (equivalente a 8 Euros) a hora.

Contatos de táxi:

Abdou (06 63 11 74 71 / 06 00 69 05 68)

Nos cobrou 200 Dh ida e volta ao aeroporto. Preço muito bom, pois o normal é que cobrem entre 150 Dh e 200 Dh somente a ida. Também nos atendeu prontamente algumas vezes em nossa estada na cidade, nos pegando na porta do hotel e nos acompanhando até o táxi – que não podia chegar até a rua do hotel Angsana, mas ficava em um estacionamento muito próximo.

Mustapha (06 62 83 93 23)

Nos atendeu uma única vez, mas cobrando um preço justo e foi extremamente gentil. Nos esperou em frente ao restaurante Les Jardins de La Medina enquanto jantávamos e quando ligamos para pedir que viesse nos apanhar ficamos sabendo que ele nem havia saído da frente do restaurante.

Peça para o recepcionista do hotel, onde estiver hospedado, ligar, tratar o valor, e solicitar o táxi no horário que você deseja. Se for ida e volta ao hotel, deixe o valor acertado na contratação do serviço. Não esqueça, tudo tem que ficar bem claro antes de usar o táxi!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.