Este é um país fascinante com características e cultura marcantes e exóticas que há muito tempo tínhamos o desejo de conhecer e finalmente o momento chegou. Agora já pensamos em retornar, pois nos apaixonamos pelas cores, cheiro, sabores e todo o mistério que envolve essa terra tão diferente do que conhecemos.

Não por acaso é conhecido como a “Pérola da África”. A apenas 14 km da Espanha é um excelente destino de férias, onde você encontra história, tradição, cultura, gente simpática e acolhedora, natureza exuberante e diversificada, clima convidativo, comida saborosa e segurança.

São poucos os lugares onde se encontra tanta variedade, beleza e riqueza natural com praias tranquilas, lagos cristalinos, rios e aldeias isoladas, desertos de areia e dunas sem fim, além de montanhas magníficas em uma área tão compacta como em Marrocos.

Em Marrocos você pode acordar na bela costa atlântica, almoçar nas montanhas do Atlas, e desfrutar de um passeio de dromedário no deserto do Saara apreciando um magnífico pôr do sol.

Prepare-se para Marrocos, pois ele não vai te deixar indiferente!

Nesta matéria vou mostrar alguns pontos essenciais que qualquer viajante deve conhecer sobre Marrocos para visitá-lo.

Marrocos é oficialmente Reino de Marrocos, tendo como sistema de governo uma Monarquia Constitucional com um parlamento eleito democraticamente, mas em que o rei é igualmente o chefe de governo.

A capital, Rabat, localiza-se na costa do Atlântico e foi fundada em 1150.

Uma das maiores cidades é Marrakech, também é a mais conhecida e visitada do país.

O país está localizado no extremo noroeste da África, região que também faz parte do Magrebe. É limitado a norte pelo estreito de Gibraltar, onde faz fronteira com a Espanha e com Gibraltar; por Ceuta; pelo Mediterrâneo e por Melilha; a leste e a sul pela Argélia; a sul pela Mauritânia, através do Saara Ocidental, tendo a maior parte deste deserto sob seu controle e a oeste pelo oceano Atlântico.

Marrocos caracteriza-se por ser um país montanhoso, destacando-se as grandes cadeias montanhosas do Rife, com a orientação noroeste-sudeste, que faz, geologicamente, parte das Cordilheiras do sul da Península Ibérica, tendo como ponto mais alto o monte Jbel Tidirhine com 2.456 metros, e a Cordilheira do Atlas que se estende desde a costa atlântica até a Tunísia, atravessando a Argélia.

A maioria da população é árabe, representando cerca de 70% da população e os outros 30% são representados pelos berberes. Todas as outras etnias não chegam a corresponder a 1%. A religião dominante é a muçulmana sunita (99%) e a língua predominante no país é a variante marroquina do árabe. Entretanto o francês, língua da época em que o país era uma colônia, é amplamente falado.

O fato de ser um país muçulmano nos impõe algumas regras de comportamento ao visitá-lo. Falo sobre esse assunto nesse post.

Curiosidades

– Os pratos são trazidos pouco a pouco e uma empregada ou um membro mais jovem da família (sempre uma mulher) traz uma bacia de metal com sabão no meio, às vezes feito de esculturas artesanais, e água em volta. As mãos são lavadas e uma toalha é oferecida para secá-las.

– Os marroquinos têm o costume de beber chá verde com hortelã (menta) e açúcar antes e depois da refeição. Agradecem a Deus dizendo bismillah.

– Eles costumam comer de um prato comunitário, com a mão direita, o polegar e os dois primeiros dedos. No fim das refeições, agradecem novamente dizendo all hamdu Lillah, que quer dizer: “graças a Deus” e repetem o ritual de lavar as mãos.

– O suco de laranja é uma das bebidas tradicionais juntamente com o chá de menta.

– Um dos grandes eventos de Marrocos é a Ultra Maratona na Areia, que é disputada no sul do país.

 

Veja nesse vídeo tudo o que vamos apresentar para vocês nas próximas matérias de Marrocos:


Conhecendo a História

Como grande parte do norte da África, Marrocos esteve sob sucessivo domínio dos fenícios, do Império Romano e do Império Bizantino até a chegada dos árabes, que introduziram o Islã e fundaram o reino Nekor no século VIII.

No século XI os berberes assumiram o controle e passaram a governar não só Marrocos, mas também reinos vizinhos e o sul da península ibérica, até ao fim do século XII.

Em 1415, Portugal conquista Ceuta e, no século seguinte, a maior parte do litoral marroquino permaneceu nas mãos de portugueses e espanhóis. Ceuta ainda é um território espanhol.

Posteriormente Marrocos esteve sob controle da Inglaterra e da Espanha, até que em 1912 o sultão marroquino Moulay Abd AL-Hafida aceitou o estatuto de protetorado francês, permanecendo assim até 2 de março de 1956, quando se deu pacificamente a independência marroquina.

Em Agosto de 1957, o sultão Maomé V transformou Marrocos num reino, passando a usar o título de rei.

Atualmente Marrocos é uma Monarquia Constitucional, onde o monarca exerce a chefia de Estado com poderes limitados pela Constituição e o poder executivo é exercido pelo primeiro-ministro.

 

Leia tudo sobre Marrocos e siga-nos também no Facebook e no Instagram.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.