Quem não quer viajar pagando pouco pela passagem aérea?

As companhias “low cost” ou de baixo custo são uma grande oportunidade para baratear os custos com as passagens aéreas, muitas vezes oferecendo tarifas que custam um terço da oferecidas pelas outras companhias.

Entretanto é importante ficar atento às regras, principalmente, quanto ao check in e a franquia de bagagem, tanto de mão quanto a despachada.

Atenção ao aeroporto de onde partem os voos, pois costumam ser os secundários e, normalmente, são mais afastados dos grandes centros ou até em outras cidades. Pesquise a distância, tempo de deslocamento, tipo de transporte e custo para chegar e sair do aeroporto.

Em uma de nossas primeiras viagens não prestamos atenção no aeroporto e quase perdemos o voo. Estávamos em Bruxelas e seguimos para o Aeroporto de Bruxelas Zaventem, mas o nosso voo, pela Rynair, saia do Aeroporto de Charleroi. Ou seja, chegamos ao Aeroporto de Bruxelas Zaventem e, rapidamente pegamos o trem para Charleroi e, por sorte, não perdemos o nosso voo.

Viajantes têm perfis diferentes e, a menos que você consiga fazer uma mala super econômica e não faça questão de comprar ao longo da viagem, sua bagagem pode pôr a perder toda a economia no preço da passagem!

Definitivamente já me convenci que ao comprar uma passagem de baixo custo, tenho que comprar franquias extras para bagagem. Dessa forma, ainda é possível economizar, pois se comprarmos a bagagem extra no momento da compra da passagem, paga-se razoavelmente mais barato do que se precisarmos compra-la no balcão de check in ou fora do prazo determinado pela empresa.

E foi justamente essa experiência desagradável que passamos no Aeroporto de Bergamo, em Milão, no guichê da Ryanair.

Depois de uma viagem de 25 dias pela Itália, retornamos a Dublin com a Rynair, a maior empresa “low cost” da Europa. Entretanto, apesar já termos comprado antecipadamente duas bagagens extras, não foram suficientes!

Foi bem complicado reorganizar as malas no aeroporto devido ao excesso de peso. Mesmo tendo pagado por duas malas de 20 kg para porão, ainda tínhamos um excesso de 30 kg ao custo de 20 euros por kg… Dá pra imaginar o drama???

Depois de descartarmos “o que podíamos”, compramos, na Raynair, mais uma bagagem de 15 kg (o Paulo teve que se virar pra achar o que servisse como mala no aeroporto, pois não havia loja de malas) e, finalmente embarcamos e “relaxamos”… Paulo diz que nunca mais quer viajar de Raynair… kkkk

Brincadeiras a parte, dependendo do seu perfil de viajante, uma passagem low cost pode custar mais do que em outra companhia qualquer. É preciso atenção aos custos extras, se acontecerem…

Viajar pelas companhias low cost tem vantagens e desvantagens, e uma grande desvantagem, pelo menos para mim, é com relação à limitação de bagagem. Na Raynair, por exemplo, a passagem dá direito a uma bagagem de mão de até 10 kg, com as dimensões máximas de 55 cm x 40 cm x 20 cm, mais uma mala pequena com as dimensões máximas de 35 x 20 x 20 cm. Veja mais sobre as regras da Companhia clicando aqui.

O perfil ideal do viajante “low cost” é aquele que consegue viajar com o mínimo indispensável em uma única mala de mão que deve ser dentro dos padrões exigidos palas companhias. É possível comprar pela internet e nas lojas especializadas malas dentro dos padrões, mas fique atento, pois as medidas e o peso variam um pouco entre as companhias.

Nossas viagens sempre foram com a Rynair por uma questão de praticidade, pois todas as vezes partimos de Dublin, nossa base na Europa. Entretanto, a maioria dos viajantes não têm uma base para deixar a bagagem enquanto viaja com uma malinha de mão. O que fazer? Bem, se você não tem onde guardar sua mala de porão, ela deve ser despachada e essa franquia deve ser comprada no momento da compra da passagem. Ainda assim, você terá limitações rígidas de medidas e peso.

Outro cuidado que se tem que ter é com o check in que é bem diferenciado. É sempre feito on line e você deve ter o cartão de embarque impresso no momento do embarque, caso contrário, terá que fazê-lo no guichê da companhia e pagar pelo serviço!

A alteração do horário do voo pode acontecer e não é raro. Por isso, fique ligado no seu email e consulte sempre o site da companhia até o limite final antes do embarque. Como você já comprou a passagem, só resta aceitar a mudança ou pagar um valor extra e, normalmente alto, para alterar convenientemente seu voo caso não queira desistir da passagem e receber o reembolso. Mas pense bem, você já comprou antecipadamente essa passagem, já organizou a viagem, a alteração por parte da companhia aérea se dá, normalmente, há poucos dias ou há horas do voo… Vai desistir de tudo???

O horário de embarque é bem rigoroso e atrasos não são tolerados pelas companhias. Chegue com antecedência para despachar a mala, se for o caso, e sempre conte com imprevistos, pois como já mencionei, os aeroportos são distantes (geralmente 1 hora de ônibus) e problemas com o transporte podem ocorrer. Não arrisque fazendo conexões que dependam desses voos. Dê um bom intervalo de horas!

Não espere conforto! As poltronas podem nem sequer ser reclináveis, como pode não haver lugar marcado na passagem. Nesse caso, é bom ser um dos primeiros da fila de embarque e correr para pegar um bom lugar. Se ficar no final da fila, também ficará nos piores lugares do avião.

O lema das aéreas “low cost” é cobrar por tudo e por qualquer serviço e, dentro desse conceito, tudo que é servido durante o voo é cobrado, inclusive a água!

Antes de comprar a sua passagem em uma companhia “low cost”, pese todos os prós e os contras, pois a passagem pode ter um preço bem atrativo, mas pode sair mais cara do que em uma companhia normal. Considere o fato de não ter as mordomias e o conforto que teria em outra companhia; calcule quanto gastará no caso de despachar mala(s) e; o mais importante, calcule a distância do aeroporto, quanto você gastará em transporte no deslocamento e o tempo que levará. O Aeroporto de Beauvais, a 90 km de Paris, é um bom exemplo para avaliar a questão de distância e custo de deslocamento que pode chegar a mais de 200 euros como mostro nessa matéria.

Importantíssimo é ler, com atenção, as regras da companhia em questão com relação a passagem, bagagem de mão e despachada, check in e embarque.

Precisa fazer uma reserva de hospedagem?

Faça sua reserva clicando aqui ou no banner do Booking no nosso blog. Você não vai pagar nada a mais por isso e o blog ganha uma comissão do Booking. Você consegue uma ótima hospedagem com preço bacana e é uma maneira de contribuir com o blog.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.