Começou o período de baixa temporada turística, que se estende até meados de junho – antes do inverno no hemisfério sul e do verão no hemisfério norte.

Depois voltamos a ter novo período de baixa temporada entre meados de agosto e dezembro – quando o verão e o inverno começam a se despedir nos hemisférios norte e sul, respectivamente.

Nós temos uma vantagem maior com o turismo doméstico – dentro do Brasil –, considerando que o período de baixa temporada turística é maior, sendo interrompido apenas pelas férias de julho.

É bom lembrar que os “feriadões” não se incluem dentro da baixa temporada, pelo contrário, é uma época de grande demanda de viagens, elevando os preços.

Sim, mas quais são exatamente as vantagens de viajar na baixa temporada turística?

Vamos lá!!!

  • A principal vantagem para a maioria dos viajantes é preço bem mais barato de passagens, hospedagens e, até alguns serviços que se relacionam ao turismo, como passes e ingressos, por exemplo.
  • É possível conhecer destinos que, provavelmente, com os preços da temporada turística, não pudéssemos viabilizar.
  • A possibilidade de aproveitar mais e melhor as cidades, desfrutando do clima de outono – no hemisfério sul, e da primavera – no hemisfério norte. Sem o rigor do calor e do frio. Pare e pense no desconforto de caminhar por uma cidade como Roma, por exemplo – onde é preciso caminhar muito para ver o máximo possível –, sob um calor acima de 35ºC como ocorre, normalmente, em julho e agosto. É muito quente e o corpo fica permanentemente pegajoso. Agora,  imagine-se passeando por Paris – onde também deve-se fazer longas caminhadas –, com botas pesadas ou desconfortáveis (como é a maioria) ou carregando casacos pesados e outros apetrechos de inverno. Isso sem falar na neve, no gelo escorregadio no chão, no vento e na chuva (que podem ocorrer no inverno, inclusive todos ao mesmo tempo).
  • Fora da temporada turística as filas diminuem muito e se consegue otimizar o tempo visitando mais atrativos e claro, com muito mais tranquilidade, inclusive para fazer aquelas fotos tão desejadas. Imagine ficar a metade do dia em uma fila para entrar no Coliseu, em Roma ou no Louvre, em Paris… No verão é assim!
  • As cidades estão mais vazias, o que permita caminhadas mais tranquilas e, portanto, conhecê-las com calma observando, muitas vezes, o que não se veria no meio de tanta gente. Dois exemplos clássicos que sempre dou para quem me pergunta são Veneza e Paris, sendo que em Veneza a situação chega a ser desconfortável até por conta das ruelas e pontes estreitíssimas! Ocorre congestionamento de pessoas em várias pontes!
  • Poder jantar naquele restaurante tão desejado sem correr o risco de não conseguir fazer a reserva para o dia em que estará na cidade.
  • A vantagem está longe de ser somente financeira, pelo que já mencionei, mas também está na facilidade e tranquilidade na escolha de hotéis, na compra de passagens de trens, ônibus ou ferries nas datas e horários desejados, na compra de ingressos para os dias em que se estará na cidade, na oportunidade de poder sentar e tomar um café, uma cerveja, ou seja lá o que for, mas naquele lugar que tanto se queria conhecer etc. Já pensou na decepção que se tem ao tentar comprar, pela internet um ingresso para um museu ou uma atração imperdível e constatar que esgotou para o período desejado? Isso pode acontecer facilmente para lugares como os museus do Vaticano, os de Florença e até com a Torre Eiffel se a compra não for providenciada com pelo menos quatro a cinco meses de antecedência. Da mesma forma, com os tickets de trem, deve-se ficar atento para o início das vendas e efetuá-las com a maior brevidade possível.
  • Destinos de praia – não é uma maravilha chegar a uma praia e poder se instalar onde quiser sem outras pessoas esbarrando, jogando areia e ser atendido com presteza e atenção? Achar uma espreguiçadeira, aquela sombrinha sob uma árvore, passear em uma escuna sem estar no limite da capacidade, encontrar uma vaga para o carro, poder alugar equipamentos para snorkel etc. Como seria chegar a Fernando de Noronha e ficar horas em uma fila para conhecer e fazer flutuação na praia do Atalaia? Desanimador porque você, provavelmente deixará de ver outra praia. Agora pense nas belas praias da Côte d’Azur, no sul da França ou na Costa Azzurra italiana, lotadas de gente e com engarrafamentos enormes, ou ainda, na estrada cênica da Costa Amalfitana – que é estreitíssima e com mão dupla –, no sul da Itália, completamente parada por horas… Não é nada legal por mais que a paisagem seja de enlouquecer!!!
  • Nem falei ainda da troca de milhagens por passagens aéreas, que fica muito mais fácil conseguir nesse período.

Pela minha experiência, poderia citar vários outros motivos, exemplificados, para justificar que viajar durante a baixa temporada é sempre melhor, mas acho que já deu para você perceber isso.

Os exemplos negativos que citei são, na maioria, vivenciados por mim, pois nem sempre é possível viajar quando se deseja e sim quando é possível.

Agora é só te desejar uma boa viagem!!!

Gostou desse artigo? Então leia outras Dicas para a sua viagem!!!

Siga o Cruzando Mundo no Instagram, no Twitter e curta a nossa fanpage no Facebook

◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊

Ao reservar seu hotel pelos links dos posts, pelos banners do site Booking.com ou clicando aqui, o blog recebe uma pequena comissão, o que nos ajuda a mantê-lo atualizado e você não paga nada mais por isso.

◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊

Seguro viagem brasil 728x90

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.