A CAIXA Cultural Rio de Janeiro abre no próximo sábado, 30 de janeiro, a exposição gratuita “Frida Kahlo – Conexões entre Mulheres Surrealistas no México“. São trinta obras dessa artista com um talento único e exuberante que morreu com 47 anos deixando um legado de 143 telas.

Frida Kahlo (1907 - 1954)

Frida Kahlo (1907 – 1954)

A mostra que segue em cartaz até dia 27 de março, com curadoria de Teresa Arcq, trás sete autorretratos de Frida. Alegria e sofrimento estiveram presentes, na mesma intensidade, na vida dessa artista que amou homens, mulheres e, por muitos anos, conviveu com as dores causadas por um acidente de ônibus que a obrigou a passar por mais de vinte cirurgias. Frida Kahlo se diferencia pelo pioneirismo em usar a pintura como forma de manifestar seu interior através de sua própria imagem.

Autorretrato: "Frida Kahlo con mono" - 1938

Autorretrato: “Frida Kahlo con mono” – 1938

 

Autorretrato: "Frida Kahlo en una banca" - 1939

Autorretrato: “Frida Kahlo en una banca” – 1939

Autorretrato: "Frida Kahlo con monos" - 1943

Autorretrato: “Frida Kahlo con monos” – 1943

A mostra é feita de recortes da vida e da obra da artista: A luta pela liberdade do corpo feminino, a família, o sofrimento por não poder ser mãe, o grande amor pelo marido Diego Rivera, a paixão pelo sexo feminino, a natureza e a forte relação com a magia.

Na exposição estão reunidas 30 obras da artista mexicana. Além dos trabalhos de Frida Kahlo – 20 óleos sobre tela e 10 obras em papel, entre desenhos, colagens e litografias – há cerca de 100 obras de outras 14 artistas, mulheres nascidas ou radicadas no México: María Izquierdo, Remedios Varo, Leonora Carrington, Rosa Rolanda, Lola Álvarez Bravo, Lucienne Bloch, Alice Rahon, Kati Horna, Bridget Tichenor, Jacqueline Lamba, Bona de Mandiargues, Cordélia Urueta, Olga Costa e Sylvia Fein. Vídeos, cartas, livros, fotografias e documentos completam a mostra.

“O Abraço Amoroso entre o Universo, a Terra (México), Eu, o Diego, e o Sr. Xólotl” de Frida Kahlo (1949).

“O Abraço Amoroso entre o Universo, a Terra (México), Eu, o Diego, e o Sr. Xólotl” de Frida Kahlo (1949).

"Balada para Frida Kahlo” de Alice Rahon (1956-66).

“Balada para Frida Kahlo” de Alice Rahon (1956-66).

Em umas das salas é possível ver mais uma grande expressão de arte de Frida, o vestuário. Ela mesma criava seus vestidos e combinava peças de uma forma muito intuitiva e feminina mesclando trajes tradicionais de diferentes povos do México.

A mostra veio do Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, onde foi vista por 600 mil pessoas.

Para facilitar a visitação dando mais comodidade ao público e evitar filas, senhas com dia e horário marcado já estão disponíveis na internet no site frida.ingresse.com. A partir de 30 de janeiro estarão disponíveis, também, na recepção da CAIXA Cultural. São distribuídas, no máximo, quatro senhas por CPF e a visitação será de terça a domingo, de 10h às 21h, com agendamentos para os seguintes períodos:

10h às 12h (entrada até 12h)

12h às 14h (entrada até 14h)

14h às 16h (entrada até 16h)

16h às 18h (entrada até 18h)

18h às 20h (entrada até 20h)

 

Veja o especial Frida Kahlo.

 

Conexões entre mulheres surrealistas no México

Data: 30/01/2016 a 27/03/2016
Entrada:
Franca
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Galerias 1, 2 e 3
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro  (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815

Horário: Terça-feira a domingo, das 10h:00 às 21h:00

 

 

Reserve seu hotel com o Booking.com, nosso parceiro e onde nós sempre fazemos nossas reservas. Você não paga nada a mais por isso e o blog ganha uma pequena comissão do Booking. Você reserva uma ótima hospedagem com preço bacana e ainda contribui com a manutenção do blog.

Contrate agora seu Seguro Viagem

Você também pode contratar seu seguro viagem diretamente com a Real Seguro Viagem pelo nosso blog.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.