Marrakech foi fundada por volta de 1071 por Youssef ben Tachfin no acampamento onde até então era apenas um lugar de parada ocasional para os Almorávidas. A partir de sua fundação, tornando-se a verdadeira capital desses conquistadores nômades.

A cidade permaneceu um importante centro cultural, econômico e político por grande período de tempo e sua influência espalhou-se por todo o mundo islâmico, abrangendo o Norte da África – região conhecida como Magrebe, a Andaluzia e a região subsaariana.

A Cidade

Marrakech é conhecida mundialmente por sua Medina ou Almedina, a antiga cidade fortificada que é um Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO desde 1985. A Medina teve suas muralhas avermelhadas construídas entre 1122 e 1123, por Ali ibn Yusuf. Nesse período vários edifícios foram construídos em pedra igualmente avermelhada dando origem ao apelido “Cidade Vermelha” ou “Cidade Ocre”.

 

 

Vários monumentos impressionantes que datam desse período ainda podem ser vistos dentro da Medina, como a Mesquita de Koutoubia, o Kasbah, alguns jardins, portas monumentais etc. Mais tarde surgiram outros monumentos não menos importantes e impressionantes, como o Madraçal de Bem Youssef, o Palácio de Bahia, os Túmulos Saadi, várias residências monumentais e a fabulosa Praça Jemaa El Fna, que até hoje é o símbolo da cidade.

 

 

Os 700 hectares da Medina ainda representam um excelente exemplo de cidade medieval onde o emaranhado de ruelas, casas, souks, atividades artesanais e tradicionais comércios retratam o dia a dia da população desde os tempos de sua criação.

A Praça

Um exemplo do modo de vida da população é a mundialmente conhecida Praça Jemaa El Fna, uma das maiores do mundo e a mais movimentada da África. Apesar da enorme quantidade de turistas que circulam pela Jemaa El Fna, ainda é um lugar onde os habitantes frequentam no seu dia a dia.

 

Na praça, que parece um teatro a céu aberto, você encontra encantadores de serpentes, adestradores de macacos Barbary, contadores de histórias, vendedores de água em trajes típicos berberes, tatuadores de henna, vendedores de alimentos como carnes grelhadas, cérebro de cordeiro, caracóis, salsichas, cuscuz. Já no mercado, nos arredores, você pode encontrar uma grande variedade de sapatos marroquinos, roupas, tecidos, enfeites para casa, especiarias, perfumes, e inúmeras outras coisas.

Ao entrar na Medina somos surpreendidos por uma percepção que supera qualquer descrição. É um choque cultural, um deslumbramento com a beleza do vermelho/ocre nas muralhas e nas paredes, uma surpresa com todo o ambiente medieval perfeitamente preservado e um encantamento com a mistura de aromas e cores das especiarias que fazem um verdadeiro e espetacular bombardeio em nossos sentidos.

A maioria das ruas da antiga Medina é extremamente estreita e não comportam caros nem charretes. A única forma de circular pelo interior da Medina é de bicicleta, moto ou a pé.

Ruas & Comércio

Para sentir a pulsação da verdadeira Marrakech é preciso circular calmamente pela Medina, pois lá a vida segue como se tivesse parado no tempo sem se importar com a quantidade de turista que circula pelas ruelas, a não ser pelo comércio frenético, mas também realizado com nos tempos medievais.

Perder-se pela Medina é muito fácil, devido à grande quantidade de ruas, ruelas e corredores semelhantes, mas não se preocupe, pois faz parte do encanto de Marrakech. Assim como se diz que um dos melhores programas em Veneza é se perder pelas ruelas da cidade, em Marrakech, deixe-se perder pelos corredores da Medina, pois sempre haverá alguém disposto a lhe ajudar a encontrar seu hotel ou o que procura em troca de algumas moedas, é claro. Isso é Marrakech!

Caminhar pelas ruelas é passear pelo passado secular de Marrakech e é, sem dúvida, uma das melhores experiências que se pode ter na cidade.

Para melhor aproveitar essa experiência, aconselho se hospedar dentro da Medina, onde vários Riads antigos foram convertidos em luxuosos hotéis. Recomendo, também, que fique pelo menos três dias na cidade para conhecer Marrakech.

me18

Nem tudo é calmaria na Medina! O transito frenético das motocicletas exige muita atenção e cuidado por parte dos pedestres, principalmente dos turistas. Ao ouvir o barulho das motocas, saia da frente, pois elas não esperam nem diminuem a velocidade.

O layout original da Medina remonta ao período Almorávida, do qual ainda existem vários vestígios monumentais e a vida também segue do mesmo jeito como no século 11.

Compre aqui seus ingressos para conhecer as principais atrações de Marrakech e arredores.

 

Leia tudo sobre Marrocos e siga-nos também no Facebook e no Instagram.

2 Responses

  1. Rayane

    Tambem adoro viajar.Estive en Marrakech com a PSP Travel e me encantei. O Riad le Rubi e todos foram muito amaveis, como Tarik, Mustafa, Sulala y Ryduan, apresentaram o seu pais com muita paixao e conhecimento. Fiquei apaixonada por Marrakech.

    Responder
    • Katia Braga
      Katia Braga

      Olá Rayane, tudo bem?
      Concordo com você, os marroquinos recebem super bem e têm muito orgulho em apresentar seu país. Marrakech nos leva a uma encantadora viagem no tempo e, consequentemente, pela história para mais de 2000 anos. Quero muito voltar à Marrakech e explorar mais esse país mágico!
      Bjs

      Responder

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.