Depois de visitar algumas vezes a serra da Bocaina, uma faixa de Mata Atlântica da Serra do Mar, localizada na divisa dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, resolvi escrever sobre sua beleza natural e seus maiores atrativos para ajudar os leitores que desejam conhecer esse paraíso que muitas vezes fica ofuscado pelas serras do Mar e da Mantiqueira.

Protegida pelo Parque Nacional da Serra da Bocaina (PNSB), a natureza exuberante com seu ecossistema e uma tranquilidade que proporciona uma perfeita conexão com a biodiversidade, a Bocaina abriga algumas das cidades mais procuradas pelos turistas dos dois estados: Paraty e Angra dos Reis (RJ) e Ubatuba (SP).

A Bocaina guarda cenários históricos que nos remetem ao passado através dos caminhos abertos pelos índios, ligando o litoral fluminense ao Vale do Paraíba – região que prosperou com o café, atingindo seu auge em 1850 -; através das pegadas de antigos bandeirantes e tropeiros que movimentavam a região.

As marcas da riqueza trazida pelo apogeu do café e estagnada com seu declínio estão registradas nas cidades históricas com grande patrimônio cultural e arquitetônico como Bananal, São José do Barreiro, Cunha e Areias, todas pertencentes ao estado de São Paulo.

São José do Barreiro é a porta de entrada para o Parque Nacional da Serra da Bocaina. A partir do centro da cidade até o parque são 27 quilômetros de estrada de terra em condições precárias, uma das razões da dificuldade de acesso e, consequente preservação do meio ambiente. Para quem não estiver em veículos com tração nas quatro rodas, pode visitar o parque nos jipes, kombis e caminhões que partem de São José do Barreiro.

Considerando-se a exuberância da região com cenários de cair o queixo, vale a pena aventurar-se pelo parque com mais de cem mil hectares, ainda que a infraestrutura não seja das melhores.

Prepare-se para se deslumbrar com cachoeiras, como a do Veado, com mais de cem metros de quedas; picos com altura que passa de dois mil metros e que descortinam morros e mar; paisagens coloridas por aves como o tucano e a flora rica em orquídeas e árvores floridas; trilhas que exigem muita disposição como a Trilha do Ouro (ou Caminho de Mambucaba), considerada uma das mais interessantes do país e percorrida em três dias de caminhada passando pelos fragmentos da história. O final da Trilha do Ouro é na praia da Mambucaba, em Angra dos Reis.

Na região você encontra várias pousadas charmosas e antigas fazendas de café que atualmente funcionam como hotéis – as mais preservadas ficam em Bananal. Algumas dessas fazendas hotel abrem as portas de seus restaurantes para visitantes não hóspedes, servindo receitas caipiras preparadas no fogão à lenha e também pratos à base de trutas.

Abertas somente para visitação as fazendas Pau d´Alho e a Resgate são memórias vivas do auge do Ciclo do Café, preservando suntuosos casarões em estilos colonial e neoclássico.

Principais atrativos

Destacam-se o Caminho de Mambucaba; as cachoeiras de Santo Isidro, das Posses e do Veado; a Pedra do Frade e a Praia do Caxadaço.

Para conhecer melhor a região, saber quando e como ir e preparar sua visita, leia o post sobre o Parque Nacional da Serra da Bocaina.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.