No dia 05 de novembro estreou nos cinemas brasileiros mais uma super produção com o agente do serviço de espionagem britânico MI-6, James Bond, também conhecido como 007. Quarto filme da série interpretado pelo inglês Daniel Craig, o sexto ator a interpretar o agente, “007 Contra Spectre” também está recheado de ação, romance e cenários de tirar o fôlego!

O personagem, criado pelo escritor inglês Ian Fleming, em 1953, já ganhou séries no rádio e na televisão, histórias em quadrinho e videogames. No cinema, James Bond fez desta a série mais lucrativa de todos os tempos com uma arrecadação de mais de 12 bilhões de dólares com os 24 filmes, desde o primeiro, “007 Contra o Satânico Dr. No, em 1962, estrelado por Sean Connery, até o recém-lançado, “007 Contra Spectre”.

O cinema é uma ótima fonte de pesquisa de locais que se deseja conhecer ou revisitar e, a série 007 é um dos melhores exemplos para vermos destinos que vão dos mais belos e luxuosos aos mais exóticos e inusitados.

Este post mostra os lugares por onde James Bond passou nos últimos quatro filmes e para ver as locações dos outros vinte, clique aqui (em edição).

007 Contra Spectre (2015) 

James Bond está acostumado a frequentar cidades, hotéis e lugares fantásticos e, nesse vigésimo quarto filme do espião mais competente e charmoso do cinema estão cenas filmadas na Cidade do México, no México; em Londres e em Oxford, na Inglaterra; em Roma, na Itália; em Tânger e Arfoud, em Marrocos, além de Sölden, Obertilliach e Altaussee, na Áustria.

Na Cidade do México, 007 aparece no desfile de comemoração ao Dia dos Mortos na Praça da Constituição ou Zócalo, como também é conhecida a praça central da capital mexicana. Nela fica a Catedral Metropolitana, que também é vista no filme e é uma das mais antigas catedrais católicas romanas das Américas, tendo sido construída sobre os escombros de um templo asteca no período entre 1573 e 1813.

Em Londres, o rio Tâmisa foi o grande protagonista das filmagens, principalmente a região entre a ponte Vauxhall, próxima ao prédio do MI 6 e a ponte Westminster mostrando imagens belíssimas do Palácio Westminster, do Big Ben e da London Eye. Notting Hill, a Trafalgar Square, as ruas Mall e Whitehall, o Camden, o interior do London City Hall, o Covent Garden, a ponte Millennium e o Blenheim Palace também são locais onde ocorreram filmagens.

 

O Palácio de Bleinheim, em Woodstock, é a única residência rural não episcopal a ostentar o título de “palácio”. Na bela cidade natal de Winston Churchill, o histórico Palácio de Blenheim localizado na zona rural de Oxford serve como pano de fundo para uma perseguição com Bond ao volante.

Palácio Blenheim

Em Roma, a Cidade Eterna, Bond passa por vários locais históricos e turísticos com seu Aston Martin DB 10 cinza prateado. Atravessa a Via di San Gregorio perto do Coliseu, além de se envolver em uma espetacular perseguição pelas ruas da cidade, seguindo pela Corso Vittorio Emanuele II, uma das vias históricas de Roma; Via della Conciliazione; Vaticano; Castelo de San Angelo e ao longo do Tibre, onde acaba mergulhando o carro. Na Via Ápia, uma das antigas estradas que levam para fora de Roma, há cenas envolvendo Craig e Monica Bellucci em uma bela Villa.

Em Marrocos, Bond volta à cidade de Tânger, no norte da África, onde esteve em 1987 com “007 Marcado para a morte”, estrelado por Timothy Dalton. Na cidade, o Palácio de Abdeslam Akaaboune aparece como o “Hotel L’Americain” do filme. O agente viaja no Oriental Desert Express que percorre 305 quilômetros entre as cidades de Oujda e Bouarfa e o percurso mostra belas paisagens do Sahara. O trem tem três vagões com ar condicionado, bebidas e uma refeição quente servido a bordo. Várias paradas estão programadas para imortalizar a viagem em fotos, incluindo Aïn Benimathar, Tendrara e Bouarfa. As filmagens também passaram por Arfoud, uma cidade oásis localizada ao sudeste na região de Meknès-Tafilalet.

Na Áustria, em Sölden – uma importante estância de esqui -, o edifício de vidro  no topo da montanha é, na verdade, o Ice Q Restaurant que no filme aparece como a clínica onde ele encontra a Dra. Madeleine Swann (Léa seydou). Inaugurado em 2013, o Q é um refúgio gourmet de luxo com vista panorâmica a 3.048 metros acima do nível do mar.

Bond também passa por Altaussee Lake, uma região deslumbrante com locais para a prática de esqui e quilômetros de estradas sinuosas com vistas perfeitas e pelos picos de Tirol oriental, em Obertilliach, lugar bem popular entre os esquiadores de cross-country durante o inverno e para caminhadas no verão.

007 Operação Skyfall (2012)

O filme tem locações em Istambul, Adana e Fethiye, na Turquia; em Shangai, na China; na Ilha de Hashima, no Japão; nas montanhas Buachaille Etive Mor e Buachaille Etive Beag, na Escócia e em Londres, na Inglaterra.

“007 Operação Skyfall” inicia com James Bond em perseguição a um bandido em Istambul, cidade que já foi cenário para as aventuras do agente em outros dois filmes: “Moscou contra 007”, com Sean Connery, em 1963 e “O Mundo não é o Bastante”, estrelado pelo ator irlandês Pierce Brosnan. Na perseguição Bond passa de moto pela Praça Eminonu, uma das mais antigas da cidade e onde se localiza o Bazar Egípcio de especiarias e a Mesquita Yeni ou Mesquita Nova, templo otomano construído entre 1597 e 1663. Cenas também foram feitas no Correio Imperial e no Hipódromo de Constantinopla que foi o centro esportivo, social e cultural de Constantinopla.

Na sequência, entra no Grande Bazar, provavelmente o maior e um dos mais antigos mercados cobertos do mundo. Aberto em 1461, é muito conhecido pelas joalherias, cerâmicas, especiarias e tapetes. O Bazar Coberto, como também é conhecido, tem mais de 60 ruas cobertas e centenas ou milhares de lojas e é frequentado por cerca de 400 mil pessoas por dia. Nas cenas onde 007 segue de moto pelos telhados do Gran Bazar é possível ver uma panorâmica da cidade.

Na cidade histórica de Adana, Bond luta em cima de um trem que passa pela centenária ponte Varda construída em pedras com 98 metros de altura e 172 metros de comprimento sobre o cânion Kapikaya. A obra foi realizada pelos alemães, em 1912, como parte da linha ferroviária Istambul-Bagdade para conectar Berlim à Basra. Para ver o cânion é preciso seguir por um trilho com 7 km de caminhada que termina em Yerkopru onde há instalações para pic nic e restaurante. A ponte Varda fica na aldeia de Hacikiri, a cerca de 6 km da área de Yerkopru.

Em Fethiye, na praia de Koca Calis, foram feitas as cenas em que Bond está em uma cabana na praia enquanto todos pensam estar morto. Fethiye é uma cidade costeira no sudoeste da Turquia popular para o turismo.

Muitas sequências foram gravadas em Londres mostrando vários pontos da cidade: Southwark, bairro que remonta ao século IX; Whitehall, rua arterial em Westminster que é centro administrativo do Reino Unido e faz conexão entre Parliament Square e Trafalgar Square; National Gallery que foi fundada em 1824 e se tornou um dos mais importantes museus da Europa; edifício 10 Trinity Square, que é um dos ícones da cidade; mercado de Smithfield; St Bartholomew’s Hospital; Canary Wharf, um complexo de edifícios comerciais que inclui o One Canada Square, o 8 Canada Square e o Citigroup Center, que já ostentaram o título dos três maiores edifícios do Reino Unido; Departamento de Energia e Mudança Ambiental; Estação Charing Cross; Old Royal Naval College, em Greenwich; além da Vauxhall Bridge, que foi fechada para o tráfego durante as gravações da explosão na sede do MI6 em Vauxhall Cross.

Cenas impressionantes mostram a cidade chinesa de Shangai, mas tirando as tomadas aéreas, as demais foram gravadas em Londres.

Hashima Island, também conhecida como Gunkanjima, a ilha abandonada onde o vilão Silva, interpretado por Javier Barden, se esconde, é uma ilha japonesa localizada a cerca de 16 km de Nagasaki. Hashima, com uma área inferior a 1 km², já fez parte da atividade mineradora em águas profundas do Japão e era habitada por trabalhadores da mineradora. Em 1974, a atividade de mineração foi suspensa e os moradores abandonaram o local que atualmente é ponto turístico. Barcos com grupos para visitas guiadas saem diariamente de Nagasaki.

Na Escócia, James Bond dirige o famoso Aston Martin DB5, que também foi usado por Sean Connery, pela estrada cênica A82 nas montanhas de Buachaille Etive Mor e Buachaille Etive Beag levando M para a casa onde passou a infância, em Glencoe. O Vale do Glencoe, uma região histórica e umas das mais belas da Escócia, também já serviu de locação para os filmes “Coração Valente” e “Higlander”. Glencoe é, provavelmente, o vale mais famoso da Escócia e foi recentemente votado como o vale escocês mais romântico. A região, além de ser muito popular para caminhadas, trekking, alpinismo, mountain bike, esqui e snowboard no inverno, também é a base ideal para explorar as Terras Altas da Escócia, onde encontram-se grandes picos, rios caudalosos e cachoeiras. Entretanto, a casa de Bond não fica na Escócia, mas na Inglaterra, em Hankley Common, uma área do Ministério da Defesa que já serviu de locação para outros dois filmes da série: “007 O Mundo não é o Bastante” e “007 Um Novo Dia para Morrer”, ambos com Pierce Brosnan.

 

007 Quantum of Solace (2008) 

As locações do vigésimo segundo filme da série passa pela Itália, Áustria, México, Panamá e Chile. 

A trama começa com uma cena de perseguição onde Bond, em seu Aston Martin, segue pela SR249 na costa oriental do Lago di Garda ao norte da Itália. Este é o maior lago do país e é considerado um dos mais belos do mundo, sendo margeado por aldeias, resorts e hotéis fabulosos. A perseguição continua com cenas nas pedreiras de mais de 2.000 anos em Carrara, a sudeste de La Spezia, nos Alpes Apuanos da Toscana. Incontáveis obras históricas foram esculpidas nos mármores retirados de Carrara, desde os romanos antigos que construíram com ele a Coluna de Trajano e o Panteão até e Michelangelo com seu fabuloso “’David”.

Bond chega a Siena, cidade medieval e Patrimônio da Humanidade, localizada na região central da Toscana. O agente entra pela Piazzetta della Paglietta, na Via di Salicotto, principal artéria del Terzo di San Martino, a sudeste da Piazza del Campo, a principal praça da cidade. Além de passar sobre os telhados do casario de Siena, 007 segue em perseguição a um bandido em meio a corrida do Palio de Siena, que, desde o século 13 acontece na Piazza del Campo duas vezes por ano, em 2 de julho e 16 de agosto. A entrada para assistir a tradicional corrida é gratuita, mas, uma multidão se aglomera na praça e a melhor forma para conseguir uma boa vista é planejar com antecedência e reservar um quarto com vista para a Piazza.

 

Na Toscana, em Maremma, a Torre di Talamonaccio, uma construção de pedra que remonta ao ano 1.000 d.C. foi usada como a casa de Mathis (Giancarlo Giannini).

As cenas do Haiti foram, na verdade, filmadas em Colon, na costa caribenha do Panamá, na extremidade do Canal do Panamá. Colon é a segunda maior cidade do país, um importante porto e centro comercial, além de ser um destino turístico. O Edifício Arboix, uma magnífica construção no centro de Colón foi escolhida para se passar pelo “Hotel Dessalines”, no Haiti. No filme, é a primeira parada de James Bond em sua missão e lá acontece uma sequência de luta em um dos quartos no alto do prédio que acaba se estendendo até a varanda. As locações na Cidade do Panamá se fizeram passar pelas ruas e construções da Bolívia.

O prédio do Instituto Nacional de Cultura, na Plaza de Francia, construído em 1931, foi o local escolhido para ser o fictício Grande Hotel Andino onde Bond se hospeda ao chegar à Bolívia. O prédio sofreu uma transformação total. Próximo ao INAC, as imponentes ruínas do que foi o mais célebre clube particular do Panamá, o The Old Union Club, serviu de locação para a cena da festa beneficente de Dominic Greene, o vilão interpretado por Mathieu Amalric. As filmagens também aconteceram no Aeroporto Howard, que fica nos arredores da Cidade do Panamá e foi uma base da Força Aérea dos EUA até 1999.

As áridas montanhas da Baixa Califórnia, no México serviram de locação para cenas aéreas onde Bond pilota um antigo avião DC3 quando é atacado. Por questões ambientais e de segurança, nenhum efeito pirotécnico pode ser filmado no local, portanto os tiros e a fumaça foram adicionados posteriormente como efeitos visuais.

As cenas que se passam no deserto da Bolívia foram filmadas no norte do Chile, no Atacama, a região mais seca do planeta. O ESO Hotel at Cerro Paranal (ou Residencia) que fica a uma altitude de 1.800 metros, próximo ao Observatório Paranal do ESO (European Southern Observatory), foi construído no alto de uma montanha no extremo sul do deserto de Atacama foi usado para as externas passadas no hotel “Perla de Las Dunas”, na Bolívia, onde Bond e Camille (Olga Kurylenko) correm pelo telhado do prédio perseguindo os seus adversários.

Em Bregenz, na Áustria, foram gravadas cenas no cenário construído para a montagem de 2007/8 de Tosca na Bregenz Festival House. A encenação da ópera foi sobre o palco flutuante, cercado pelo Lago Constance.

007 Cassino Royale (2006)

Cassino Royale, o vigésimo primeiro filme da franquia 007 e o primeiro estrelado por Daniel Craig como James Bond foi filmado na República Checa, nas Bahamas, no Reino Unido e na Itália. Baseado no primeiro livro escrito por Fleming protagonizado pelo agente, em 1953, a história se passa no início da carreira de Bond como 007, mostrando sua promoção como agente especial com licença para matar.

Ao contrário do que parece, não houve cenas na África, nem em Miami e, muito menos em Montenegro. A maior parte do filme foi filmado na República Checa.

 

A abertura do filme onde Bond, após ganhar sua licença para matar, atira em sua segunda vítima se passa em um escritório do Danúbio House, no novo complexo comercial River City Praga, nas margens do rio Vltava, no bairro de Karlin em Praga. O Praga Ruzyne Airport, aeroporto internacional da cidade a 17 km ao noroeste de Praga foi locação para as cenas do aeroporto de “Miami” e as pistas em que Bond salva o gigantesco protótipo “Skyfleet” de um ataque à bomba, no entanto, é Dunsfold Aerodrome, perto de Guildford, em Surrey. O hotel de “Veneza” foi gravado nas escadarias e na recepção do Museu Nacional da República Tcheca,  localizado na Praça Venceslau, uma praça/avenida com mais de 750 metros que fica na região da Cidade Nova de Praga.

As cenas no trem, onde Bond conhece Vesper (Eva Green) rumo a Montenegro é, na verdade,  o trem de alta velocidade Pendolino, que faz a linha  entre Praga e Viena.

O “Cassino Royale”, em Montenegro teve suas cenas externas gravadas em Karlovy Vary, uma cidade frequentada por europeus ricos e  famosos. As cenas de entrada e saída do cassino é o edifício  dos Balneários Imperiais, e a estação da suposta Montenegro é a, localizada no centro histórico de Karlovy Vary. O café na praça de Loket, um sensacional vilarejo medieval a poucos  quilômetros de Karlovy Vary, serviu de locação  para as cenas de Bond e Vesper com seu contato em Montenegro e o Grand Hotel Pupp emprestou sua fachada para representar o “Cassino Royale”.

Em Bahamas foram realizadas cenas em diversas locações perto das ilhas de New Providence e Paradise Island, que teve o famoso resort de luxo Atlantis Paradise Island como principal local de gravações. O canteiro de obras onde Bond persegue um fabricante de bombas é, na verdade, uma construção abandonada de um hotel em Coral Harbour em New Providence Island. O local é, atualmente, parte de uma base militar.

Atlantis Paradise Island Hotel

Na Itália, as locações foram a cidade de Veneza e o Lago de Como. Os cenários na “Sereníssima” são verdadeiros cartões postais, além de serem facilmente identificados. Bond e Vesper chegam à Veneza a bordo de um iate Spirit 54 e navegam pelo Grand Canal entre a Accademia e a Ponte do Rialto. Na cena é possível ver o Campanário e a Basílica da Praça de São Marco, além de outros ícones de Veneza, como o Hotel Cipriani, localizado em uma ilha no meio da lagoa oferece uma das mais bonitas vistas da Praça San Marco. Com mais de meio século de história, o hotel é símbolo de glamour e elegância.

No Lago de Como, na Lombardia, foram feitas as cenas da clínica onde Bond se recupera após as torturas. De origem glacial, este é o terceiro maior lago da Itália, depois do Lago de Garda e do Lago Maggiore. Tem profundidade máxima de 410 metros, sendo um dos mais profundos da Europa. A Villa Balbianello, construída no século XVII sobre as ruínas de um monastério franciscano do século XIII, serviu de locação para a clínica.

Gostou desse artigo? Então leia outras postagens sobre Europa.

Siga o Cruzando Mundo no Instagram, no Twitter e curta a nossa fanpage no Facebook

◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊

Ao reservar seu hotel pelos links dos posts, pelos banners do site Booking.com ou clicando aqui, o blog recebe uma pequena comissão, o que nos ajuda a mantê-lo atualizado e você não paga nada mais por isso.

◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊◊

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.